3 normas ABNT para Vidros laminados

Assim como ocorre com outros tipos de vidro, o laminado também prevê normas específicas para a sua utilização, que visam sobretudo a segurança tanto dos profissionais envolvidos, como dos beneficiários.

As normas para o vidro laminado têm como objetivo especificar requisitos gerais, métodos de ensaio e os principais cuidados.

Confira agora 3 normas que devem ser seguidas no uso dos vidros laminados.

Instituída pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a NBR 14 697 de 2001 traz definições das categorias de vidro laminados que podem ser comercializados, requisitos quanto a espessura e acabamentos.

Para as definições dos diferentes tipos de vidro laminados, a NBR divide entre: vidro laminado, vidro laminado com a camada intermediária resistente ao fogo, vidro laminado sem camada intermediária resistente ao fogo, vidro laminado simétrico, vidro laminado assimétrico e de segurança.

Nas definições de vidro laminado, a NBR reconhece o conjunto de uma ou mais chapas de vidro, ou material plástico envolto por camadas intermediárias. Vidros laminados que estejam sendo vendidos sem estas especificações ficam sujeitos a fiscalização e multa por parte dos órgãos responsáveis.

Já para o vidro laminado com resistência ao fogo, suas camadas intermediárias devem ser feitas com base em materiais altamente resistentes a esse tipo de situação, a NBR também prevê que o produto pode conter outros componentes do vidro que sejam igualmente resistentes a alta temperatura.

No caso do laminado sem resistência ao fogo, a norma chamada atenção para que nenhum produto pode ser classificado como resistente sem ser ensaiado e classificado como tal, sendo assim, o material sem resistência não apresenta as camadas que passam pelo ensaio.

Para os tipos simétricos e assimétricos, a definição é simples e diz respeito a características gerais dos produtos. Enquanto o vidro laminado simétrico apresenta a sequência de chapas iguais, o assimétrico necessita apresentar diferenciações no material.

As especificações para o vidro de segurança são aprovadas mediante a prova de que a camada intermediária consiga deter os fragmentos do vidro no caso de quebra, reduzindo o risco de acidentes mais graves.

Espessura dos vidros laminados.

A NBR define que a espessura nominal do vidro deve ser a soma da espessura nominal das chapas e das camadas intermediárias.

Ao acessar a norma na íntegra, é possível ter acesso a uma tabela que define tanto a espessura nominal, como as tolerâncias de espessura.

Para estar dentro das normas de fabricação, a tolerância desta espessura deve estar presumida como a de um vidro float, que consiste na mesma espessura nominal.

Acabamentos para o vidro laminado.

Vidros laminados que contenham em sua composição, chapas de vidro temperado ou endurecidos, não poderão ser furados ou ter as bordas trabalhadas. Todo o acabamento prévio deve ser feito antes do endurecimento da chapa.

As bordas do vidro devem ser lixadas, lapidadas ou filetadas. A NBR chama atenção ainda para os acabamentos especiais, caso queira usar bisotê, o fornecedor de vidro deve ser consultado.

Visite nosso site e saiba mais sobre nossos produtos e serviços. A Reflex Tempervidros faz parte da Abravidro e conta com a qualidade de tecnologia de ponta.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *