Vidro temperado X laminado: qual a diferença entre os dois?

Na construção civil, o uso de vidros em diversos tipos de projetos é bastante comum. Dentre os mais utilizados, estão o temperado e o laminado, sendo ambos ideais quando o assunto é segurança.

Apesar da semelhança entre os dois materiais, algumas características próprias de cada um deles são capazes de distingui-los. Por isso, hoje você conhecerá a diferença entre o vidro temperado e o vidro laminado. Acompanhe a seguir!

Vidro temperado

Vamos começar falando sobre o vidro temperado e suas principais características. Para ser produzido, por exemplo, o material passa por um tratamento térmico: é inserido em um forno aquecido a aproximadamente 600ºC, sendo resfriado bruscamente em seguida.

O processo é fundamental para enrijecer a estrutura do material. Além disso, é responsável por conferir uma resistência a choques térmicos cinco vezes maior em comparação ao vidro comum, podendo suportar grandes variações de temperaturas. Já em relação ao vidro laminado, o temperado é pouco flexível.

Outra característica notável desse material é que, após a transformação, ele não pode ser furado ou cortado. Caso isso ocorra, a peça pode sofrer um estilhaçamento total, embora os fragmentos sejam pequenos e pouco cortantes.

O temperado é considerado um vidro de segurança, sendo muito utilizado em janelas, portas, vitrines, boxes de banheiro, fogões e divisórias.

Vidro laminado

Agora, é o momento de falarmos sobre os atributos do vidro laminado, também classificado como um vidro de segurança. Assim, fica mais fácil entender as principais diferenças entre ele e o temperado, a começar pelo processo de fabricação, o qual é bastante diferenciado.

No caso do laminado, ocorre a união de duas ou mais placas, as quais podem ser de vidro comum ou temperado. O que une as peças são camadas intermediárias de películas de PVB (Polivinil Butiral), formando uma espécie de sanduíche. Este processo garante que, caso haja danos ao material, os estilhaços se mantenham colados na película e não se soltem.

A película de PVB também é responsável por filtrar cerca de 99% dos raios ultravioleta, os quais podem, a longo prazo, descolorir objetos presentes no local, como móveis e tecidos. Além do mais, o laminado reduz ruídos, já que amortece as vibrações sonoras por meio das camadas de polivinil butiral.

Uma desvantagem em relação ao temperado é que o laminado é menos resistente a impactos frontais. Assim, é mais recomendado utilizá-lo em pisos, claraboias, degraus, corrimãos, guarda-corpos e coberturas.

Qual deles escolher para o seu projeto?

Na hora de se decidir sobre o tipo de vidro que será utilizado no seu projeto, o mais importante é avaliar onde ele será instalado. Dessa forma, você não corre o risco de escolher um material inadequado para a construção.

Em relação ao custo, o vidro temperado geralmente é mais vantajoso, o que não significa que seja inferior no quesito segurança. A grande questão é que o laminado é mais indicado em projetos que requerem uma segurança maior, como sacadas e mezaninos.

Outra opção para quem deseja ainda mais segurança é utilizar o vidro laminado temperado, o qual une os atributos de ambos os materiais. Pode ser empregado, por exemplo, em fachadas, degraus, claraboias e pisos.

Portanto, avalie a necessidade do seu projeto e descubra qual dos dois materiais é o ideal para você.

Gostou desse texto? Acesse nosso site e conheça os melhores produtos e serviços para o seu projeto!

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *